sábado, 24 de maio de 2014

Ensine a si mesmo a Amar a Terra

Uma nova forma de ambientalismo está se formando. A velha escola da ecologia como simples análise de um mundo que está "lá fora" para ser usado (mas "politicamente correto" e hoje, de forma sustentável...) por um ser humano que se acha centro pensante e lógico de um Universo que funciona como uma máquina fria e indiferente, sem causa nem finalidade, além de uma sobrevivência e ganho egocêntricos, está dando lugar - finalmente! - a uma noção de um Universo Cooperativo, de Conexão e de Influências Recíprocas, onde se passa a saber que nossas escolhas e propensões mentais se espalham a todo momento como ondas num lago e atingem alvos que retornam a justa medida da qualidade desse pensamento.
Um Cosmos que inclui o que está dentro e "fora" de nós num todo Contínuo ininterrupto, onde nada está isolado (mesmo quando analisado numa lâmina de microscópio em um laboratório...), onde nada é por acaso e onde o Amor Incondicional começa a ser redescoberto como a única, e portanto, principal solução real para tudo que nos aflige, tendo enfim a Razão recém-conquistada agora reposicionada em seu devido lugar, subalterna à intuição direta das coisas. Nesse novo cenário, o Cosmos passará a ser encarado como a Comunidade Definitiva, a partir da comunidade local que ensaia seu despertamento do sono e manipulação secular que continua hoje a iludir as massas ignaras com a volúpia do desespero, com todos os recursos que não lhe faltam, pois já vislumbra a transformação dessa dolorosa fase humana de sandices, em algo empolgante e novo para nossa humanidade atual.


Temos que aprender a Amar a Terra. Amar de forma incondicional como sempre foi dito. Amar estudando o que nos falta e é preciso saber, mas com discernimento do que é real e o que é ilusório. Amar sem sentimentalismo, sem apegos, sem banalidades, sem fórmulas surradas e sem contradições constrangedoras. Nesse momento, não vale mais a frase "qualquer forma de amor vale a pena"... essas fases menores tem de passar, antes que possamos obter os resultados de Amar a Terra e tudo que nela há, entendendo sua Sinfonia e seu alcance pela primeira vez nesta humanidade.

Assim como na Música e na Palavra Escrita, quando bem empregadas por mentes geniais e almas nobres, acredito que uma nova forma de Ilustração Naturalista deve existir para ajudar a descrever, mostrar o caminho e inspirar esse processo que está nos levando Para Casa.